Pular para a barra de ferramentas

Mulher denuncia perfil da internet por exposição de fotos íntimas após negar empréstimo de US$ 1.500 em MS

Vítima de 49 anos registrou boletim de ocorrência na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) em Campo Grande e receberá acompanhamento psicossocial.

Uma mulher de 49 anos procurou a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) de Campo Grande na noite desta segunda-feira (21), para denunciar um crime de divulgação de fotos íntimas dela, realizada por um conhecido da internet que se passou por um homem morador dos Estados Unidos.

De acordo com a vítima, os dois se conheceram em julho por meio de redes sociais e começaram e trocar mensagens. Ela afirmou que o homem utilizava um número de celular estrangeiro para conversar em um aplicativo de celular. Conforme o boletim de ocorrência, os dois passaram a trocar fotos íntimas recentemente, até que o homem pediu um empréstimo de US$ 1.500 dólares, o que foi negado pela vítima.

Pouco depois, o suspeito passou a ameaçar a mulher, dizendo que divulgaria as imagens para amigos dela, caso o dinheiro não fosse transferido. Nesta segunda, o homem enviou fotos da vítima a diversos contatos de uma rede social, através de um outro perfil, desta vez brasileiro.

Prontamente, a mulher pediu aos seus conhecidos que relataram ter recebido as fotos, para denunciarem o perfil do homem, que foi derrubado pela rede social. A vítima não possui dados além do número de telefone para qualificar o autor do crime e apagou as mensagens trocadas por eles, não conseguindo apresentar o teor da conversa para a polícia.

A versão dela sobre o fato foi registrada como divulgação de imagem íntima por pessoa que manteve relação de afeto com a vítima, com fim de vingança ou humilhação. O caso será investigado pela DEAM. A vítima de 49 anos foi orientada pelo Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) para receber acompanhamento psicossocial gratuito, oferecido pelo CEAM.

Crime

A divulgação de fotos, vídeos e outros materiais com teor sexual sem o consentimento do dono pode ser interpretada pela Justiça como crime, de acordo com várias leis. O ato pode ser classificado como difamação (imputar fato ofensivo à reputação) ou injúria (ofender a dignidade ou decoro), segundo os artigos 139 e 140 do Código Penal. Quem recebe, armazena ou compartilha os materiais também pode ser penalizado.

O Marco Civil da Internet prevê em seu artigo 21, que aguarda aprovação do Senado para virar lei, que a vítima pode pedir ao provedor a retirada de conteúdo de nudez da própria pessoa, sem a necessidade de advogado ou de recorrer ao judiciário.

G1MS

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar