Venezuelanos são trazidos de abrigo para trabalhar em frigorífico em MS

101 venezuelanos chegarão amanhã à noite em Campo Grande e, domingo, seguem para distrito de Indápolis

Um grupo de 101 venezuelanos irá chegar amanhã à noite em Campo Grande, vindo do abrigo da força-tarefa logística humanitária, em Roraima. O destino final será o distrito de Indápolis, em Dourados, onde há previsão de que os imigrantes trabalhem em um frigorífico da região.

Denominada de Operação Acolhida, o translado dos venezuelanos está sob responsabilidade do CMO (Comando Militar do Oeste). São 92 homens e nove mulheres que chegarão no Aeroporto Internacional de Campo Grande às 23h30. Os imigrantes vão pernoitar no 9º grupamento logístico e, domingo de manhã, seguem para Dourados.

Acolhida – A interiorização foi criada para ajudar famílias em situação de extrema vulnerabilidade a encontrar melhores condições de vida em outros Estados do País. Todos os envolvidos aceitam, voluntariamente, participar do programa e são vacinados, submetidos a exames de saúde e regularizados no Brasil – inclusive com CPF e carteira de trabalho.

A iniciativa conta com apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Agência da ONU para as Migrações (OIM), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Operação Acolhida A Operação Acolhida é conjunta – composta por representantes da Marinha, Exército e Força Aérea – interagências – com representantes de diversos ministérios do governo federal – e de natureza humanitária – reunindo diferentes organizações não governamentais, agências civis, secretarias estaduais e municipais, Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, entre outros órgãos.

A Força-Tarefa Logística Humanitária tem a função de cooperar com os governos federal, estadual e municipal, realizando as medidas de assistência emergencial para acolhimento dos imigrantes que se enquadram nas normas legais. Desta forma, visa recepcionar, identificar, triar, imunizar, abrigar e interiorizar os cidadãos venezuelanos.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar