De cada US$ 10 em produtos que Mato Grosso do Sul exporta, US$ 4 vem de Três Lagoas

Exportação da celulose cresceu em cinco meses de 2019 ante mesma parcial de 2018, 13,15% em volume e 20,95% em receita.

No acumulado de janeiro a maio de 2019, Mato Grosso do Sul exportou US$ 2,195 bilhões em mercadorias. Dessa receita, 40,37%, o equivalente a US$ 4 de cada US$ 10 em produtos comercializados no mercado internacional, vieram da celulose, segundo dados do Ministério da Economia tabulados pelo G1.

Conforme os dados, cresceu a exportação de celulose pelo estado tanto em volume quanto em receita, na comparação desdes cinco meses deste ano frente ao mesmo intervalo de tempo do ano passado. Em quantidade o incremento foi de 13,15%, de 1,631 milhão de toneladas para 1,846 milhão de toneladas. Já em faturamento a ampliação foi ainda maior, 20,95%, com o valor passando de US$ 732,829 milhões para US$ 886,362 milhões.

Com esse salto, a celulose que no mesmo período do ano passado era o segundo principal produto exportado por Mato Grosso do Sul, passou para primeiro e se consolidou nesta posição. A soja, que antes liderava o ranking estadual caiu para o segundo degrau.

A oleaginosa na mesma comparação, sofreu uma retração de 19,38% no volume exportado pelo estado, que caiu de 2,156 milhões de toneladas para 1,738 milhão de toneladas, e de 26,98% na receita, que diminuiu de US$ 845,593 milhões para US$ 617,461 milhões.

Mesmo com essa perda de faturamento, a soja ainda representou 28,12% da receita total das exportações de Mato Grosso do Sul na parcial de cinco meses de 2019.

Depois da celulose e do grão, três tipos de proteína animal fecham o “top cinco” das exportações sul-mato-grossense. Em terceiro lugar aparece a carne desossada e congelada de bovinos. O produto respondeu por 7,65% do faturamento do estado com essas operações neste ano, com US$ 168,052 milhões, 31,82% acima dos US$ 127,480 milhões do mesmo período do ano passado.

Em quarto vem a carne desossada fresca ou refrigerada de bovinos. A proteína ficou com uma fatia de 4,08% da receita total das empresas sul-mato-grossense com as exportações no acumulado de 2019, o equivalente a US$ 89,598 milhões, 18,60% a mais do que os US$ 75,543 milhões da mesma parcial de 2018.

Fecha o grupo, os pedaços e miudezas comestíveis congelados de galos e galinhas. Entre janeiro e maio do ano passado o estado exportou do produto US$ 101,390 milhões contra US$ 68,621 milhões de igual período deste ano, o que indica uma queda de 32,32%. Mesmo com a diminuição, respondeu por 3,12% do total do faturamento de Mato Grosso do Sul em 2019.

Juntos esses cinco produtos que vêm diretamente do agro, como a soja, ou utilizam matérias-primas produzidas pelo segmento, como a celulose e as carnes, representaram 83,34% do total da receita do estado com as exportações neste ano, atingido US$ 1,830 bilhão.

Considerando todos os produtos vendidos por Mato Grosso do Sul no mercado internacional houve uma queda na parcial de 2019 ante 2018 de 5,52% na receita, com a perda de US$ 127,5 milhões. O faturamento retrocedeu de US$ 2,322 milhões para US$ 2,195 milhões.

Se entre os produtos, a celulose ultrapassou a soja no ranking de exportações, entre os parceiros comerciais a liderança isolada continua sendo da China. O país asiático comprou do estado neste ano US$ 997,612 milhões em produtos, o equivalente a 45,44% do total exportado.

A China comprou de Mato Grosso do Sul dez produtos. O principal foi a celulose, com a aquisição de 1,166 milhão de toneladas o que levou a uma receita para o estado de US$ 543,659 milhões. Depois vem a soja, com 1,169 milhão de toneladas e resultado financeiro de US$ 418,976 milhões.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar