Risco de falência em larga escala: Cidade da fronteira com MS já tem milhares de desempregados

Pelo menos cinco mil empresas de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã (MS) devera fechar suas portas e milhares dos trabalhadores já foram demitidos devido as duras restrições no combate da COVID-19 imposta pelo governo paraguaio.

A risco de falência em larga escala se o fechamento da fronteira e a proliferação de covid-19 persistirem por muito tempo. O governo de Mario Abdo Benítez prevê a reabertura de pequenas lojas no dia 25 deste mês, mas os grandes shoppings de importados seguem sem previsão de quando poderão reabrir as portas.

E pouco adiantaria voltar a funcionar com as fronteiras fechadas, já que o setor de importados dependente essencialmente dos turistas brasileiros. Ontem (18), o presidente paraguaio disse que escolas e fronteiras serão as últimas a serem abertas.

O desemprego cresce todos os dias em Pedro Juan Caballero. Dos 40 mil trabalhadores formais e informais que dependem diretamente dos turistas brasileiros, boa parte já foi demitida, segundo projeções de comerciantes ouvidos pelo Campo Grande News. O número oficial é desconhecido.

Para justificar as demissões, Cogorno Alvarez disse ao jornal ABC Color que 99% dos clientes do Shopping China são do Brasil, atualmente a nação com a maior infecção do vírus na América Latina. “Vai levar tempo para voltar ao que era antes. No momento o mais importante é salvar vidas”, afirmou o empresário.

Atualmente apenas mercados, farmácias, serviços de saúde e outros setores considerados essenciais estão funcionando em Pedro Juan Caballero.

Só no centro, entre pequenas, médias e grandes, são pelo menos 500 lojas fechadas. Contando as lojas dos bairros, chega a cinco mil fechadas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar